TESTE

JK Rowling

10 Coisas reveladas por JK Rowling sobre os livros de Harry Potter

por Fernando Diego Sioli

Durante uma conversa de mais de uma hora com o ator Daniel Radcliffe, que interpretou o Harry Potter, JK Rowling revelou detalhes sobre o desenvolvimento da história, e de como os personagens iriam terminar a saga no Mundo Mágico.

Essa conversa faz parte dos extras do Bluray de Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte 2. Confira a seguir, e, claro, existem vários spoilers da história. E abaixo o vídeo completo com a conversa dos dois em inglês.

10. JK Rowling ia salvar o Lupin

Harry Potter
Harry Potter (foto: Divulgação)

Quando a escritora JK Rowling escreveu o primeiro livro, ela decidiu fazer um panorama geral da saga, e escreveu um esboço do final. No primeiro momento, ela não tinha a intenção de matar o Professor Lupin, que morre no último livro, ao lado de sua mulher, Tonks. Mas, no desenrolar da história, ela percebeu que ela tinha que morrer.

"E a razão pela qual ele tinha que ir foi que ele (Lupin)... No último livro, estamos lidando com uma guerra, certo? O que é terrível sobre as guerras? Uma das coisas terríveis é deixar crianças órfãs, sem pais e nem mães. E cheguei a um ponto em que pensei: 'Eu terei que mostrar isso de novo' e o modo mais forte de mostrar isso é matar pais que conhecemos e deixar outro órfão. Acontece na primeira guerra... E Harry foi esse menino, e agora acontece de novo.", explicou Rowling.

9. Ron poderia não ter chegado até o fim 

Harry Potter
Harry Potter (foto: Divulgação)

Durante o desenvolvimento da saga, ela sentiu necessidade de fazer os personagens perderem alguém, e Ron foi cogitado a "bater as botas". Ela explicou: "O engraçado é que planejei desde o começo que nenhum deles morreria. Mas, na metade do caminho comecei a pensar em me livrar de um deles, o que reflete o fato de que eu não estava em um momento feliz".

8. Hagrid foi livrado da morte por causa do final

Harry Potter
Harry Potter (foto: Divulgação)

JK considerou matar Hagrid por várias vezes, mas ela tinha uma imagem do final, gravada em sua mente. Ela via Hagrid levando o corpo de Harry no final da série, sem que o público soubesse que o herói ainda estava vivo. A ideia seria fazer um contra-ponto ao personagem levando Potter para a casa dos tios no primeiro ano. Sendo assim, a autora poupou o final trágico do personagem.

7. JK sabia que Dumbledore era gay ainda na Pedra Filosofal

Harry Potter
Harry Potter (foto: Divulgação)

Mesmo sabendo que o Diretor de Hogwarts seria homossexual, JK Rowling não considerou incluir na história porque não fazia sentido. Dumbledore deveria ser solitário e também tinha muitos mistérios. Há uma menção em Relíquias da Morte por causa da relação do personagem com Grindewald.

"Sua única experiência com o amor foi trágica. Foi com alguém perigoso e demoníaco. E criou um caos absoluto, no mundo e para ele. Então essa era minha ideia dos antecedentes trágicos de Dumbledore". E que estamos começando a ver nos filmes da saga de Animais Fantásticos.

6. O elenco do filme era bonito demais para os personagens do livro

Harry Potter
Harry Potter (foto: Divulgação)

A autora torceu o nariz quando o elenco do filme foi escolhido, principalmente porque ela queria que eles fossem menos bonitos. Harry, Ron e Hermione deveria ser nerds e desajustados. Na construção de Hermione, ela deveria ser lembrada principalmente pela inteligência, à primeira vista. E apesar de sua transição em uma bela mulher, ela deveria ser mais normal. Porém, ela aceitou o fato de que os filmes são os filmes, e que sua "Hermione feiosa" continua em sua cabeça.

5. Alquimia como base desde A Pedra Filosofal

Harry Potter
Harry Potter (foto: Divulgação)

O nome de Dumbledore e Hagrid tem referência na Alquimia. Alvo Dumbledore seria "Branco" e Rubro Hagrid seria "Vermelho", cores importantes para os alquimistas.

"Alvo como conotação de pureza, e Rubro, com uma conotação mais apaixonada. Estas são duas metades, em Hagrid devotando uma vida ao Dumbledore. Então haviam dois pais ideias para Harry, porque Harry conforme a história está sempre em busca de um pai."

4. Adultos no Mundo Mágico?

Harry Potter
Harry Potter (foto: Divulgação)

JK não esperava ter uma fanbase de adultos. A autora sabia que a cada livro os personagens iriam crescer e a história se tornaria mais sombria e assustadora. Ela deixou mais evidente do 1 ao 4, mas a partir do 5, no qual Voldemort retorna, tudo iria ficar sombrio ao extremo.

"Embora para alguns, isso possa parecer péssimo. Nunca considerei meus leitores como crianças, que vão crescendo. Fui onde minha caneta me levou. Escrevei o que queria escrever."

3. A Ordem da Fênix já era o início do Fim

Harry Potter
Harry Potter (foto: Divulgação)

Durante a filmagem de A Ordem da Fênix, JK conversou com Daniel Radcliffe para explicar sobre a importância da Armada de Dumbledore, "pois Harry um dia irá liderar um grande grupo". A autora afirmou que sempre soube que a batalha final seria em Hogwarts.

Completando ela disse: "Então trabalhei o tempo todo para o desfecho e no decorrer da história procurei fazer o Harry um líder, de certa forma, do movimento de resistência. Não seria verossímil, se não acontecesse."

2. O amor é a maior missão

10 Anos Depois... Final de Harry Potter
10 Anos Depois... Final de Harry Potter (foto: Divulgação)

O epílogo do livro é uma metáfora a tudo o que Dumbledore pregava, mas não praticava. "O Amor Vence Tudo". Então a ideia de Harry se tornar um pai com uma família e amigos, se reconstruindo do trauma, ao invés de ser um herói para sempre. Isso mostra como as ligações sentimentais são o que mais importa para a história.

1.Hogwarts não é uma homenagem a internatos

Harry Potter
Harry Potter (foto: Divulgação)

Bastante criticada por fazer de Hogwarts uma versão perfeita dos internatos, a autora contou porque utilizar a escola como artifício. A escola foi criado para trazer verossimilhança à história do Mundo Mágico. Os bruxos precisam se esconder entre os trouxas e ensinar magia (e outras coisas perigosas) para crianças.

Além disso, é muito mais atraente uma escola sem as figuras dos pais, ou mesmo escolas normais do cotidiano. Na entrevista, ela ainda afirma: "Tenho certeza que todo mundo adoraria estudar em Hogwarts. Até Voldemort aparecer de novo. Sua vida será bem tranquila". (!!!) Espere! Como assim, Rowling?

Confira mais sobre a saga de Harry Potter e o Mundo Mágico construído pela JK Rowling no podcast O Orgulho Contra-Ataca. No episódio sobre os mundos bruxos de Sabrina e Harry com contra-pontos sobre preconceito racial, feminismo e representatividade. Escute no player abaixo:

Listen to "#01 - Harry Potter x Sabrina" on Spreaker.

Recomendados